sábado, 19 de abril de 2008

QUAL É O SEU ESTILO DE VIDA?

Leia a matéria do Yahoo Notícias e dê sua opinião sobre o assunto. Nos próximos dias vamos discutir sobre tribos urbanas. Um abraço. Aproveite o feriadão.

Emoção a flor da pele

Jovens aproveitam para soltar o verbo e expor os segredos que envolvem o estilo mais famoso e polêmico do país

A febre ocasionada pelo estilo emo em todo o país revolucionou, chocou e, principalmente, incomodou muitas pessoas de diferentes tribos presentes nas grandes metrópoles. O jeito quase inocente da juventude, que exaltava aos quatros ventos suas franquezas e suas emoções mais íntimas provocou rebuliço na internet, em revistas, jornais e em alguns programas da televisão, servindo como pano de fundo para dividir a opinião do grande público e gerando ainda mais discussões. Outro fator que chama atenção é a identidade visual adotada pelos adolescentes, que se esforçam para destacar-se dentre os demais.

Tantos materiais e tantas possibilidades, presentes em corredores labirínticos de galerias, shoppings e a cada esquina repleta de barracas dispostas nas calçadas, geram uma infinidade de combinações na busca sedenta pela aparência mais próxima da perfeição. Enquanto Eric Ricardo, de 17 anos, estudante e promoter da casa The Boy Club, esperava na entrada da Galeria do Rock para ser entrevistado erevelar os segredos e as artimanhas do estilo, conheceu a Paola Morente, de 14 anos, também adepta. Os dois novos amigos aproveitaram o convite para mostrar sem medo as diversas lojas voltadas para o gênero. Em alguns momentos durante o percurso, eles eram encarados de maneira pouco convidativa pelos demais roqueiros.

Toda sexta-feira, a partir das 15h, a galera que curte vem aqui para conversar, conhecer pessoas e aproveitar para fazer compras, o lugar fica lotado e é difícil até de andar. Não é muito aconselhável freqüentar nos outros dias da semana por que o pessoal não gosta , afirma de maneira descontraída o rapaz de madeixas pretas e azuis. Dentre uma vitrine e outra, os acessórios mais atrativos para incrementar o aspecto são explicados, Não há restrição no uso das cores, elas podem ser usadas de diferentes maneiras, principalmente aquelas que estiveram em conjunto com peças quadriculadas ou estampas. Colares prateados com pingentes de estrelas, cintos de caveira, bolsas grandes repletas de rebite nas alças, pulseira de plástico e calças apertadas não podem faltar no guarda-roupa. Piercings e a franja de lado também são essenciais .


Sentimentos reclusos

Em relação a opinião dos pais, Paola explica que muitas vezes sua mãe fica envergonhada de andar ao seu lado devido suas roupas, em alguns ocasiões chamativas. Seu pai não se preocupa tanto, chega até gostar de sua exuberância. Para Eric a situação é um pouco diferente, pois mesmo achando estranho o estilo adotado pelo filho, eles o apóiam, Minha mãe acabou aceitando com o passar do tempo e hoje ela até me ajuda a tingir o cabelo. Ela acha que tudo é apenas uma fase , esclarece o jovem em meio a risadas. A conversa dos recém-conhecidos flui de modo descontraído enquanto proferem uma longa lista de nomes em busca de amigos em comum.

Bandas como CPM 22, Simple Plan, Arctic Monkeys, Dance of Days, Funeral for a Friend, fazem parte do vasto repertório musical, porém uma em especial consegue tocar fundo no coração do garoto, Minha banda favorita é Fresno, as letras das músicas são como poesia para mim e conseguem traduzir todos os meus sentimentos. As vezes é difícil controlar as emoções, a adolescência é um período conturbado, difícil de lidar com os anseios , revela. Ao ser indagado sobre a bissexualidade presente entre um certo número de integrantes do grupo, comenta, Esse negócio é mentira, não tem nada a ver. Eu vejo da seguinte maneira, como não temos nenhum tipo problema em relação a isso, as pessoas que já possuem certa tendência ao bi ou ao homossexualismo se identificam, aproveitando para ficar à vontade em relação a sua opção sexual .

O preconceito é bastante grande e atinge toda a classe emotiva. As constantes ameaças e a promoção de uma verdadeira caça aos seguidores não chega a acuá-los, pois a maioria segue ignorando as provocações e continua suas vidas normalmente, Todos se acostumaram de tal maneira com a monotonia dos estilos mais tradicionais que discriminam tudo diferente do habitual. Julgam pela aparência, nos colocam rótulos e não gostam de nossa presença. Eles sempre procuram arrumar confusão e até parece que nos perseguem. Certa vez fui cercado por muitos caras sem fazer nada, fui salvo da briga por um conhecido do mesmo segmento do bando inimigo .
Fotos: Gabriel Oliveira
Fonte: Yahoo Notícias

segunda-feira, 7 de abril de 2008


A TURMA DA "BOCA NO TROMBONE"
Desculpem na demora para responder aos comentários. Espero que os que postaram leiam as respostas e se sintam estimulados a continuar comentando... Tem gente que até vai ganhar um livro, pois conseguiu o que ninguém ainda havia conseguido. Confiram! O legal é saber que o livro está sendo lido de norte a sul e de leste a oeste do país. Tem gente de todas as idades, profissões, confissões religiosas, e estados do país: Rio Grande do Norte, Paraná, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e muitos outros... Ah! Uma outra coisa. A leitura de O Mundo de Rebeca está provocando a criação de muitos outros blogs. Se o propósito for o mesmo, esta atitude é mais que louvável, pois o objetivo é o crescimento e a expansão do Reino.

Deus os abençoe.



Luiz disse...
Ja li o Livro e gostei porem devo lhe dizer que estamos diante de uma era necessitada de uma Conexão pedagógica Biblica e tbm de uma psicologia Educacional dentro de uma dinamica integrativa tanto espiritual como secular, portanto o perigo esta no momento integracional e aplicativo da Ideía . Fiquem na Paz do Senhor e que Deus Abençoe o seu projeto.
16 de Fevereiro de 2008 11:20

Concordo com o Luiz. O perigo está em sabermos fazer as devidas contextualizações. É por isso que quem pensa em mudanças na igreja, precisa ser, antes de tudo, uma pessoa comprometida com a expansão do Reino de Deus, e não um “pára-quedista”.

Deus o ajude.


Débora disse...
Olá meu nome é Débora e vim parabenizar o livro, terminei de ler hoje e vi que realmente havia o blog do mundo de Rebeca fiquei curiosa e vim conferir..rs..meu interesse pelo livro foi até meio inusitado porque eu que estou na capa do livro e por esse motivo acabei lendo,achei muito bom e muito curioso alguns assuntos como doutrinas das igrejas e a cada dia vem se modificando. Parabéns Pastor!
25 de Fevereiro de 2008 17:24

Que privilégio para o blog ter a nossa “Rebeca” da capa nos visitando. Irmã Débora, é de grande valor sua participação nesta obra, acrescentou muito ao trabalho.

Que o Senhor continue te ajudando.


Néia disse...
Pr.Cesar a Paz do Senhor.Sou dirigente de um Grupo de Adolescentes (Shekina - AD Min S.Mateus).Estou no ultimo capitulo de s/ livro, e ele tem sido um manual para minhas instruções, nem terminei de ler e tenho mil idéias em minha cabeça.Pretendo dar um estudo c/ as questões feitas no livro.Caso tenha algo para mim orientar irei agradecer-lo.Tenho a preocupação de não deixa-los cair na rotina, gosto de novidades em minhas aulas e pregações, faço programações externas (como filmes em minha casa, pique-nique em parques) tem sido uma benção, interessante que a as crianças tbém se impolgam e pedem para participar.Peço sempre direção de Deus, e Ele tem me ajudado, colocando pessoas como o Sr. para nos guiar.Vou procurar os livros citados no livro, para ajudar na EBD tbém.Que Deus o abençoe.
18 de Março de 2008 10:06

Tudo bem Profª Néia? Parabéns pela sua dedicação. Este é um dos objetivos deste livro: despertar professores de Escola Dominical! É muito bom conhecer sua experiência. Com certeza, seu exemplo inspirará mais professores a se esforçarem em seu ministério. Quanto ao estudo que a irmã pretende dar, o que acha de um teatro encenando a história ou trechos do livro? Se achar que posso ajudá-la, pode contar comigo.

Siga em frente, Deus a ajudará em seus projetos.

Ana debora disse...
li o livro e achei super interessante,bom seria se todos os professores e pessoas que trabalham com adolescentes o lessem. Parabéns pastor pela brilhante obra.
29 de Março de 2008 11:11

Ana Débora, este é um dos maiores sonhos de quem escreve: que seu texto seja lido! Acredito que, se pessoas como você, passarem a indicar o livro, ele acabará chegando a muitas mãos que jamais chegariam sem a sua ajuda.

Vai nesta tua força, o Senhor é contigo.


Isabel C. Terleski disse...
Saudações...Obrigada por pensar assim de mim, então eu posso te falar o que achei do livro?.olha realmente eu quero te parabenizar pelo livro, é uma leitura gostosa, chama atenção, a história prende a pessoa na leitura, e a mensagem que ele trás realmente é pra despertar, mudar, sair do comodismo espiritual, eu achei até que é pra radicalizar...rsrsrsporque a vida da família nos foi apresentada no início com uma certa monotomia, e a partir do momento que rebeca não aceita mais a situação de não poder expressar suas dúvidas e ter uma resposta que a satisfaça, então ela se distanciou da igreja buscando tais respostas, esta atitude dela é que serviu para abrir os olhos das pessoas que estavam a sua volta.dai nós se deparamos com outra situação, que são os perigos do comodismo espiritual, porque ela não saia mais do seu quarto buscando uma coisa que era completamente impossível que era a presença de alguém "corporalmente" que esteve presente na criação do mundo. Isso é tipico de pergunta de criança, mas quais perigos que eu quis me referir? a possibilidade dela ser influenciada por doutrinas ou seitas hereges, ou até mesmo ser influenciada em um ateísmo, por chegar em conclusão que existe correntes divergentes (que foi o caso dos filósofos que ela teve que estudar) por sinal filosofias de difícil entendimento, e por não ver diferença na igreja em que ela congregava, que primeiro condenava a televisão e depois o próprio pai não saia da frente nem pra comer com ela e sua mãe nas refeições.Ainda outro problema que seria possível, ela ficava no computador praticamente todo o tempo, a não ser o que estava na escola, e os pais nem sabiam o que ela estava fazendo.Outro ainda foi a questão daquela colega de escola, ela poderia ter sido influenciada por ela, para as coisas erradas.então foi lendo a obra que percebi essas coisas (mesmo não estando expressas), ainda mais porque não era esse o objeto direto da história, mas como estou trabalhando com adolescentes percebi que é isso que está a volta deles (dúvidas, amigos, filosofias nas escolas, e muitas outras situações que nem imaginamos), pra você ter uma idéia, fizemos um retiro com adolescentes há uns meses atrás, e acredita que teve um menino que provocava seu próprio vômito no copo e bebia novamente — o que é isso??? Outra menina tentou se matar porque os pais estão com problemas conjugais e ela e a irmã ficam naquela de depressão, outros já estavam com vida sexual ativa, então são situações que não percebemos que estão ocorrendo na nossa frente com nossos adolescentes, e esse livro vem trazendo essa mensagem quando digo que tanto os pais como a professora de Rebeca se despertaram e tiveram uma radicalização nas atitudes e pensamentos que outrora possuíam. e tais conclusões me serviram muito, porque me ajudaram a perceber e buscar ser melhor no que faço pra Deus.Iniciei no dia 21/02/2008 um novo projeto, montei com alguns adolescentes um grupo de teatro, domingo dia 02/03/2008 foi nossa primeira apresentação, eu estou bem animada, já tenho idéia para 2 novas peças. uma delas é um leilão, onde terá uma criança e o leiloeiro começa a perguntar : quem da mais?e os pecados começam a oferecer seus lances, então no final Deus responde que já pagou o preço por aquela alma.e a outra peça é sobre as 10 virgens...ore por mim, preciso muito (não é tercerização tá).Deus abençoe você e sua família.um abraço.
27 de Março de 2008 05:56

Prezada Isabel Terleski, sua participação, como todas as demais, é muito importante. Espero que você tenha entendido que não há, por parte da história do livro, o objetivo de exaltar as atitudes erradas de Rebeca, dos membros da igreja, dos colegas da escola, dos pais e do uso excessivo da mídia. A única coisa que o livro faz é retratar a realidade pós-moderna. Isso que está na história não é prescritivo (que se deve fazer), mas apenas descritivo (o que está acontecendo). Um exemplo muito claro é o que você mesma relatou em seu comentário acerca do adolescente que estava praticando algo ainda mais estranho que bulimia, e a adolescente que tentou se suicidar. Todos estes acontecimentos devem nos despertar, não é mesmo? Evidentemente que, quando a história começa a mostrar as mudanças muito positivas pelas quais passaram a família, a igreja, a Escola Dominical, irmã Noêmia e a própria Rebeca, o objetivo é que os leitores (adultos, jovens e adolescentes), despertem para a realidade de que é preciso mudar... para melhor, é claro! Parabéns pela decisão de apresentar os teatros, as peças que chamam atenção e passam a mensagem cristã de maneira criativa e adequada aos teens.

Quando evangelizamos temos uma promessa de que o Senhor está conosco. Continue assim, Ele lhe dará sabedoria e força. Orei por você, pelo seu trabalho e por seus alunos.



Fred Fonseca disse...
Deus nos criou com uma capacidade enorme. Somos a criação perfeita de Deus, cada um com a sua forma de pensar e agir, com os seus desejos e sonhos. Cabe a nós vivermos de acordo com a vontade de Deus. A mente humana é bastante complexa, mas Deus a conhece e está disposto a ajudar a todos a compreender a verdade. Os nossos pensamentos devem estar sob o controle de Deus para q a nossa vida seja dirigida pelo caminho da vida.
1 de Abril de 2008 07:29

Entendendo da mesma forma que você Fred, mas a idéia aqui era receber uma resposta da “turminha do Darwin” (ou do Dawkins). Como ela não veio...

Deus continue te abençoando.


Fred Fonseca disse...
A Paz do Senhor Pr. César!Mais uma vez estou aqui, agora como leitor de O Mundo de Rebeca, parabéns pela obra (adquiri ele ontem e agora stou no capítulo 11 louco para concluir, queria poder ler e não parar mais). O livro é a realidade de uma maioria de adolescentes, foi a minha história nas páginas do livro, embora filho de pais não-evangélicos aceitei a Cristo aos 14 anos. No início foi bem difícil, pois a realidade era outra. Sempre fui tido como o jovem rebelde que não respeita pastores e acha q sempre está certo. Sei q exagerei, mas o sr. compreende o que se passa na mente de um garoto cheio de tantos questionamentos sobre a minha própria existência. Muitas vezes querendo até não crer mais em Deus, até descobrir q não tenho Fé o suficiente para não crer na existência de Deus.Hoje aos 22, ensino aos adolescentes e dirijo um ministério de teatro (o IDE). Me identifico bastante com eles e sempre disposto a ajudá-los, pois lembro q nessa fase poucos me entendiam.O bom nisso tudo é que Deus nos ama e tem o melhor para cada um de nós. Hoje com essa responsabilidade de ensinar aos adolescentes (missão que eu amo fazer) entendo o pq enfrentei tantos conflitos, para q hoje eu pudesse ajudá-los nessa fase tão complexa, cheia de novidades e desafios. Próximo mês stou indo para a Bahia para dar uma palestra para Adolescentes e Jovens e com ctz o seu livro será citado (O Mundo de Rebeca, leitura obrigatória).Pr. César, é muito bom poder entrar em contato com o sr. (não são todos os autores q dão aos leitores esse prazer) desde já agradeço pela atenção. E me desculpa se escrevo d+, é coisa de jovem falar de + (hehehe).A paz,Frederico FonsecaNatal/RN
3 de Abril de 2008 06:31

Ô Fred temos muitas coisas em comum (além de nossa filiação real — o que nos identifica com todos os demais que postaram seus comentários), pois também aceitei ao Senhor Jesus Cristo aos 14 anos. Acho maravilhoso saber — como disse em entrevista à Revista Ensinador Cristão (CPAD) — que o Senhor permite que enfrentemos muitos desafios e obstáculos, para que, como nos diz a Palavra, “também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus” (A referência vou deixar para vocês descobrirem, pois a regra deste blog é pensar!). Também fiquei feliz por saber que você dirige um grupo teatral. A igreja precisa cumprir, não somente a Grande Comissão, mas também a Comissão Cultural (produzindo cultura popular e erudita). Deus, com certeza o usará para a expansão do seu Reino. Boa palestra e que o Senhor continue lhe abrindo portas para evangelizar.


O Senhor é contigo varão valoroso.


Fred Fonseca disse...
Uma Palavra... Fascinante. Um Sentimento... desejo de fazer mais para o SENHOR. Concluída a leitura de O Mundo de Rebeca posso afirmar que foi a mais sensacional ficção (real) que já li (sem exageros). Um livro que já passou a fazer parte das minhas indicações para todos, sejam adolescentes, pais, educadores, pastores (o meu pastor já está lendo) e líderes, pois sem dúvida é um bom ensinamento para o leitor. Uma fantástica viagem a cada página, e o desejo de chegar às últimas e descobrir o desenrolar da história. Mas chegando ao final sentimos um gostinho de quero mais. Novamente Pr. César Moisés, gostaria de parabenizar pelo brilhante trabalho, o livro nos instiga a buscarmos fazer mais para Deus, em cada página a identificação com os fatos nos leva a uma prazerosa reflexão; Em que eu posso melhorar??? Para os adultos o aprendizado do que se passa na mente de adolescentes e jovens, que muitas vezes mal compreendidos são "forçados" a deixar a "Casa do Pai". Não posso deixar de relatar o fato ocorrido ontem a noite enquanto finalizava a leitura, na página 203 — "Pela primeira vez em toda a sua vida, teve o desejo de "falar" com o Criador do Universo." (Rebeca realmente descobriu a verdade). Neste momento o meu ser encheu-se da presença do Espírito Santo e lágrimas corriam em meu rosto. Não posso deixar d dizer tb q enquanto lia o diálogo entre Rebeca e a Sabedoria, eu até achei que o Internauta Misterioso era o sr. Sério, pensei mesmo, enquanto minha namorada olhava o final tentando descobrir, eu pedi q nada me falasse para não perder o sabor da surpresa. Mas pq pensei isso? O seguinte, a Irmã Noêmia para mim não parecia ter tanto conhecimento, para falar a verdade fiquei surpreso por ser ela (eu imaginava que fosse, só não qria acreditar q era ela, :D, que bom q ela teve força de vontade em aprender, é tempo de recomeçar). Mas, o mais fantástico de tudo no livro é o q está escrito na Capa dele. Nunca me passou pela cabeça o por que do título da obra (referência à Igreja). Somente nas últimas páginas enquanto narrava o tempo da igreja ai sim caiu a ficha. Brilhante a sua idéia, deixou no bolso o Jostein Garder com o Mundo de Sofia. Prefiro mesmo o de Rebeca.Gostaria de dar algumas sugestões, o final com a idéia do Blog foi d+. Agora vamos interagir neste espaço. Todo dia acesso sperando novidades. Vamos movimentar, estou disposto a ajudá-lo se necessário. São assuntos q me interesso e muito me ajudará a entender tb os meus alunos. Interação é o q adolescentes gostam... A paz do Senhor. Nos encontramos por ai, no fim desta "História" ou no início de outra!!!Forte abraço,Frederico FonsecaNatal/RN
4 de Abril de 2008 18:51

O Fred acabou me emocionando com suas palavras... É muito gratificante ver Deus agindo através do trabalho que fazemos para Ele. O mais interessante é que ele foi o primeiro leitor que conseguiu captar — claramente, e sem nenhuma ajuda — o fato de que existe uma outra história dentro da história de O Mundo de Rebeca. Não se preocupa com o estado do seu livro não Fred (já que ele está andando de mão em mão), pois, pela “façanha” de decifrar a metáfora da obra, vou te enviar um inteiramente gratuito e autografado! Me manda o seu endereço, ok? Quanto à interação, pode deixar, vem novidades por aí, tenha só mais um pouquinho de paciência... Porém, não dispenso a sua ajuda não, aqui o espaço é democrático, o que vale é a expansão do Reino.

Que Deus lhe dê mais e mais da força do seu poder.


Dilza Brum disse...
Pr. CésarEstou lendo seu livro e gostando muito do que estou vendo. Sou formada em Pedagogia e acredito que esta obra deve ser lida por pais e professores. Esta leitura tem mudado muito minha concepção de ensino na escola Dominical, e tenho certeza de todos os professores de adolescentes deveriam ler o Mundo de Rebeca, pois é uma obra que nos leva a pensar de forma mais centrada. Eu gostaria muito que, na minha infância e adolescência, pudesse ver o que vejo neste livro por parte daqueles que foram meus professores.Para mim não é apenas uma leitura recreativa (pois toda vez que saio levo o livro comigo), mas uma leitura que tem me feito pensar e reconhecer o valor de ter coragem de inovar no ensino e romper barreiras que impedem os adolescentes de terem o conhecimento da verdade com respostas inteligentes, sem descrer da Bíblia.Deus o abençoe grandemente por esta obra tão preciosa, que nos ensina a, como professores, ter coragem de nos atualizar para responder de acordo com a realidade de nossos dias, sempre centrados na verdade cristã. Dilza Brum
6 de Abril de 2008 09:33

Cara colega — pois também sou pedagogo — e irmã Dilza Brum, é uma honra ter também a opinião de um profissional por aqui. É possível que algumas pessoas, talvez pela capa, achem o livro uma obra apenas para adolescentes. No entanto, ela serve para pais, líderes, professores (não somente os de Escola Dominical), pois apresenta o quadro pós-moderno e desafia-nos a mudar. Não o mudar pelo mudar, mas o transformar-se e renovar-se para não deixarmos de ser ouvidos... Num momento em que os “valores” (ou seriam desvalores?) difundidos pela mídia (na verdade por quase toda a cultura popular), são os mais absurdos, penso que chegou a hora de a família se unir à igreja e à escola, para tentar fazer alguma coisa, antes que seja tarde demais... Suas palavras quanto ao desejo de ter tido um professor (como a professora apresentada na história, após a transformação, é claro), é um dos maiores reclames dos adolescentes. Eles esperam mudanças, pois já não agüentam mais. E olha que na nossa época não havia tanta coisa para competir com a educação, e ainda tem professor que insiste no “cuspe e giz”...

Muito obrigado por seu comentário e que o Senhor continue abençoando sua vida.


Madá disse...
Que Deus o abençoe por esta inspiração tão linda!!!;)
6 de Abril de 2008 13:54

Obrigado Madá. Pelo jeito você se inspirou no livro e resolveu também “soltar o verbo”. Deus abençoe seu trabalho com o blog.

Fique na paz de Jesus.
Related Posts with Thumbnails